> Actividades > Projecto Educativo Imprimir
Projecto Educativo

Introdução

A Fundação Francisco António Meireles (FFAM), sediada em Torre de Moncorvo, é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, sendo constituída por duas respostas sociais: uma delas encontra-se vocacionada para o acolhimento de idosos e outra está dirigida para o acolhimento de crianças e jovens.
Esta Instituição, e nomeadamente a Resposta Social – Lar de Crianças e Jovens, surge assim, como um equipamento social que tem como finalidade o acolhimento de crianças e jovens entre os 3 e os 18 anos de idade, do sexo feminino, por forma a lhes proporcionar estruturas de vida semelhantes às das estruturas familiares, com vista ao seu desenvolvimento integral.
Estes acolhimentos surgem de situações ou disfunções mais ou menos graves ocorridas na vida destas crianças/jovens, o que as leva a carecer, temporariamente, do apoio de uma estrutura residencial que lhes ofereça, condições para um processo de socialização mais positivo e satisfatório, bem como protecção e salvaguarda das suas necessidades e direitos inerentes.
Sendo esta Instituição um recurso aberto à comunidade, a sua intervenção pressupõe uma intervenção técnica e educativa junto das crianças e jovens acolhidas, tendo estas e as suas famílias um papel activo e importante na construção e avaliação sistemática dos respectivos projectos de vida.

E é neste contexto de constante participação e troca de saberes e conhecimentos que a Instituição, como entidade promotora de desenvolvimento global, pretende continuar o seu trabalho e desenvolver um projecto educativo junto de cada criança e jovem que acolhe, tendo em conta as necessidades, os interesses, os desejos e as motivações manifestadas.


Objectivos

Na realização do trabalho desenvolvido junto das crianças e jovens acolhidas, existem por base os seguintes objectivos:

- proporcionar a satisfação de todas as suas necessidades básicas (alimentação, vestuário, segurança, educação e afecto), em condições de vida tão aproximada quanto possível às de uma estrutura familiar;
- proporcionar o seu bem-estar geral, tendo em conta as diferentes fases do seu desenvolvimento, bem como as características especificas de cada criança/jovem;
- promover a sua reintegração na família e na comunidade;
- promover os meios que contribuam para a sua valorização e formação pessoal, social, escolar e profissional.
- promover o desenvolvimento de competências pessoais, sociais e profissionais, por forma a torná-las mais autónomas, responsáveis e activas na sociedade envolvente.


O Grupo de Crianças e Jovens


1. Caracterização do Grupo

A Resposta Social - Lar de Crianças e Jovens desta Instituição encontra-se equipada e preparada, nas suas instalações, para acolher um número máximo de 32 menores.
O número de crianças e jovens acolhidas é variável, uma vez que cada caso é um caso, e com cada criança/jovem os projectos de vida são trabalhados e avaliados de acordo com a sua especificidade, o que leva a que durante um ano corrente, surjam oscilações no número de menores acolhidas.
Relativamente à faixa etária, trata-se de um grupo heterogéneo, pois as crianças e jovens possuem idades compreendidas entre os 10 e os 19 anos de idade, com maior predomínio de jovens com 13 e 14 anos de idade, num total de 21 menores acolhidas actualmente.
A existência de um grupo heterogéneo e relativamente reduzido permite o estabelecimento de laços afectivos, de uma maior cumplicidade e de um relacionamento interpessoal mais efectivo entre as crianças e jovens. É também possível, a existência de um bom trabalho de grupo na realização de actividades lúdicas e recreativas, nas quais participam, quer no interior, quer no exterior da Instituição.
A existência de um grupo heterogéneo também permite organizar e distribuir as crianças e jovens com diferentes idades, pelos quartos existentes, havendo sempre a preocupação de colocar uma menor mais nova na companhia de uma jovem mais velha, por forma a desenvolver bons hábitos de organização e arrumação dos espaços, com uma crescente responsabilidade e autonomia pessoal por parte da criança mais nova que necessita de maior apoio e acompanhamento.
A nível da sua proveniência, podemos referir a existência de um leque alargado de naturalidades por parte das crianças e jovens acolhidas, abarcando por tal, os Distritos de Bragança, Lisboa e Vila Real. Para além destes distritos de Portugal, também se encontram acolhidas jovens provenientes de Angola e Guiné-Bissau (PALOP).
A admissão de crianças e jovens na Instituição é feita através de uma cuidadosa e ponderada análise do processo por parte da Equipa Técnica, de forma a perceber a necessidade do acolhimento em causa e do tipo de necessidades emergentes da criança/jovem.
As situações de acolhimento na Instituição são encaminhadas por duas Entidades, sendo elas os Tribunais Judiciais ou as Comissões de Protecção de Crianças e Jovens em Risco, através da aplicação de medida de promoção e protecção, de curto ou de longo prazo.
Em termos das problemáticas apresentadas pelas crianças/jovens acolhidas, é possível referir um leque alargado de situações, nomeadamente, a negligência e falta de supervisão familiar, escolar e de cuidados de saúde, bem como situações de abuso físico e psicológico.

2. Organização do Tempo

- Acordar:
- Período de Aulas: 6h30min/7h00min
- Período de Férias: 8h30min
- Almoço: 12h30min
- Actividades pedagógicas e recreativas
- Lanche: 16h00min
- Tempo de estudo
- Jantar: 19h00min
- Tempo de estudo
- Ceia
- Deitar:
- Período de Aulas: 9h15min/10h30min
- Período de Férias: 22h30min/23h00min

Horário de Funcionamento: 24 horas por dia

Horário de Visitas às crianças e jovens: das 14:00h às 18:00 h


3. Caracterização do espaço físico e recursos materiais

A Resposta Social - Lar de Crianças e Jovens desta Instituição comporta a existência dos seguintes espaços:
- sala de estudo, com mesas, cadeiras e com todo um conjunto de material de desgaste necessários e adequados à realização dos trabalhos escolares;
- sala de actividades com recursos lúdico-pedagógicos para a realização de diversas actividades;
- sala de convívio com televisão e vídeo, onde podem confraternizar em grupo e realizar variados jogos didácticos e educativos;
- sala de informática, com 4 computadores disponíveis para a realização de trabalhos escolares e para a realização de vários tipos de pesquisa na internet;

- espaço da biblioteca, com acesso a livros e enciclopédias sobre variados temas, adequados às necessidades e fases de desenvolvimento das crianças e jovens;
- 12 quartos e 13 casas de banho partilhadas entre duas ou três menores, estando estas distribuídas por grupos heterogéneos e promotores de um bom desenvolvimento;
- 1 quarto e 1 casa-de-banho para utilização das Monitoras que acompanham diariamente a vida das crianças e jovens;
- espaço da copa, sendo este um espaço equipado com todos os recursos e materiais essenciais para a confecção de refeições, onde as crianças e jovens tomam as refeições do pequeno-almoço, do lanche e da ceia;
- espaço do refeitório, onde decorrem as refeições do almoço e do jantar, com a posterior realização das tarefas de arrumação e organização do espaço por parte das crianças e jovens, organizadas em grupos e supervisionadas pela Monitora presente;
- salão, onde se praticam actividades de expressão corporal e se realizam diversas festividades da Instituição.

Recursos materiais:

- material escolar de desgaste;
- livros e enciclopédias de temas variados;
- jogos lúdico-didácticos;
- Equipamentos informáticos, audiovisuais e de música;


4. Caracterização dos Recursos Humanos

A nível de recursos humanos, a Resposta Social - Lar de Crianças e Jovens contempla a existência de uma Equipa Técnica, constituída por um Técnico de Serviço Social, uma Técnica de Educação Social e uma Psicóloga. Existe também uma Equipa Educativa que acompanha o dia-a-dia das crianças e jovens, sendo esta equipa constituída por quatro Monitoras, as quais trabalham por turnos, de forma a assegurar todos os momentos diários da vida das crianças e jovens acolhidas.
Para além destes recursos humanos, esta Resposta Social, também usufrui de outros recursos existentes na Instituição, em partilha com a Resposta Social - Lar de Idosos, nomeadamente, do Motorista, das Funcionárias do espaço da Cozinha, da Lavandaria e da Costura, bem como da Médica e Enfermeiro de serviço e dos respectivos Funcionários Administrativos.


As Famílias das crianças e dos jovens que se encontram acolhidas, são também elas um importante recurso humano e com o qual se torna essencial estabelecer uma relação regular e positiva, em prol da construção de um bom projecto de vida para cada criança/jovem aqui acolhida. É de toda e vital importância promover e envolver a família numa atitude pró-activa e construtiva no desenvolvimento integral destas crianças/jovens.
E por fim, existe ainda a comunidade envolvente, com a qual se desenvolve um trabalho contínuo de forma a promover o processo de integração das crianças/jovens no meio em que se encontram inseridas, através da participação social em diferentes actividades que esta mesma comunidade proporciona.